Diferenças metodológicas entre PNAD e CAGED

A Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNADC) do IBGE e o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (CAGED) da Secretária Especial de Previdência e Trabalho -Ministério da Economia - são as duas estatísticas de mercado de trabalho mais utilizadas em análises socioeconômicas no país. Apesar de ambas retratarem o comportamento do mesmo mercado, as duas fontes de informações são de natureza metodológica distinta.

A PNADC tem como objetivo o fornecimento de informações sobre a inserção da população na força de trabalho, bem como a parcela da população fora da força de trabalho. As suas informações advêm de uma pesquisa amostral em domicílios. Ou seja, ela se baseia em declarações das pessoas entrevistadas. Por meio de um método estatístico, os resultados da amostra são expandidos e estimados para representar a totalidade da força de trabalho na região pesquisada durante o período, independente da natureza do trabalho, se formal ou informal.

A divulgação desta pesquisa do IBGE é tanto mensal (PNADC/M), como também trimestral (PNADC/T) e anual (PNADC anual).

O conjunto de indicadores da PNADC/M são mais restritos que os das demais divulgações e, os seus resultados são em trimestres móveis apenas para o Brasil. Já a PNADC/T e PANDC anual contêm toda a gama de indicadores trimestrais e anualizados da pesquisa com um recorte geográfico em: Brasil, Unidades da Federação; Regiões Metropolitanas (que inclui os municípios das capitais). Como o Ideies/Sistema Findes tem como foco principal as informações estatísticas do Espírito Santo, o instituto faz análises socioeconômicas apenas para a PNADC/T (Nota Conjuntural e Boletim Econômico Capixaba).

Em contrapartida, o CAGED é um registro administrativo que é alimentado todo mês pelos estabelecimentos formalmente registrados (CNPJ). De acordo com a legislação, toda empresa formal precisa informar mensalmente a Secretária Especial de Previdência e Trabalho a movimentação fidedigna do quadro de seus funcionários. Dessa forma, as suas informações abrangem somente o mercado de emprego formal (com carteira assinada), desconsiderando toda a parcela dos trabalhadores informais e domésticos, empregadores e desempregados. As divulgações das movimentações deste registro de emprego formal pelo governo são mensais, com defasagem de um período. Logo, a sua defasagem é menor que os três meses da PNAD/T. 


As informações do Caged contêm as quantidades de pessoas que foram admitidas (seja por reemprego, reintegração ou transferência) e desligadas (seja por motivo de demissão, aposentadoria, término do contrato, transferência ou óbito). A diferença entre essas duas movimentações de quadro de funcionário resulta no Saldo Líquido de Emprego, que corresponde a geração (no caso de saldos positivos) ou a destruição (caso negativo) de postos de emprego formal no recorte geográfico adotado (Brasil, Unidades da Federação, Regiões Metropolitanas e Municípios). Por meio deste saldo, chegasse ao estoque total de empregos formais no dado período.

Por fim, é preciso ressaltar que, dadas essas diferenças metodológicas, não é recomentado que a Pesquisa da PNADC e o compilado dos registros administrativos do Caged sejam diretamente comparados entre si, sem um prévio tratamento e adequação dos seus dados.