Despesas do Governo do ES crescem 2,2% no acumulado até agosto; conheça os principais gastos

O Boletim Econômico Capixaba de setembro traz a análise das finanças públicas estaduais observando as receitas e despesas realizadas entre janeiro e agosto de 2019, em comparação ao mesmo período dos anos anteriores.

Em relação às receitas, o acumulado até agosto de 2019 foi de R$ 13,0 bilhões, representando crescimento de 16,5% em relação ao mesmo período do ano anterior. As despesas alcançaram R$ 9,1 bilhões, com alta de 2,2% em comparação a 2018.


Os principais gastos do Governo do Estado, por função

A classificação das despesas por função (veja definição no box ao lado), mostra que em relação ao total de despesas liquidadas entre janeiro e agosto de 2019 pelo Governo do Espírito Santo, a maior parcela (21,46%) foi gasta com Previdência Social.

Em seguida aparecem as funções de Saúde (19,22%), Segurança Pública (15,84%) e Educação (15,32%). Juntas, as quatro principais funções somaram mais de 70% das despesas realizadas no período.


A transparência como ferramenta de controle social e responsabilidade fiscal

A qualidade e o acesso aos dados de finanças públicas se mostram fundamentais para permitir o acompanhamento dos indicadores, seja pelos próprios gestores públicos, pelos órgãos de controle ou pela sociedade em geral, além de permitir acesso a pesquisadores e imprensa.

O Espírito Santo se destaca, por exemplo, com duas boas ferramentas: o Portal da Transparência do Governo do Estado, que congrega todas as informações fiscais de âmbito estadual; e o portal CidadES, do Tribunal de Contas do Estado do Espírito Santo, que organiza os dados dos municípios capixabas.

O Ideies, contribuindo com a realização de análises sobre a economia do Espírito Santo, também vem se dedicando à elaboração de alternativas que permitam um entendimento mais facilitado das informações disponíveis nas redes. 

O infográfico abaixo permite interagir com os dados de finanças públicas, originados do Portal da Transparência e analisados no Boletim Econômico Capixaba, de maneira mais dinâmica e visual, explorando o detalhamento das despesas por função e abrindo-as também por grupo, elemento e subelemento da despesa.


    Classificação Funcional da Despesa

    No orçamento público brasileiro, são utilizadas classificações para a despesa e para a receita. Entre os tipos de classificação da despesa, está a classificação funcional, que busca informar em que grande área de atuação governamental a despesa será realizada. Cada atividade, projeto e operação especial identificará a função e a subfunção a que se vinculam.

    Fonte: Portal da Transparência – Governo Federal