Pressionada pela indústria extrativa, produção industrial capixaba recua 9,7% em fevereiro de 2019

Segundo a Pesquisa Industrial Mensal - Produção Física (PIM-PF) realizada pelo IBGE, a indústria brasileira em fevereiro foi fortemente impactada pela queda na produção de minério de ferro e pelotas. Essa situação é ainda mais evidente pela queda da produção física industrial do Espírito Santo (-9,7%) e de Minas Gerais (-4,7%), os estados mais afetados pela retração nas indústrias extrativas em fevereiro de 2019 (gráfico). A queda da produção da indústria capixaba foi maior porque, além do minério de ferro, também apresentaram diminuição na produção os segmentos de óleos brutos de petróleo e celulose, papel e produtos de papel. 

Considerando que em 2019 o mês de fevereiro teve dois dias úteis a mais do que no ano anterior, o crescimento de 2,0% da produção nacional nesta base de comparação pode ser considerado fraco. 

A indústria do Espírito Santo, por sua vez, registrou queda de 11,7% no mês de fevereiro de 2019, na comparação com fevereiro de 2018, puxada pela forte contração das indústrias extrativas (-21,0%) e também pela contribuição negativa da indústria de transformação (-1,4%).

Apesar do desempenho fraco neste início de ano, a perspectiva para 2019 ainda pode ser de crescimento da produção industrial do país, a depender da concretização do processo de reformas estruturais. No caso do Espírito Santo, devido a relevância das indústrias extrativas e do minério de ferro para a sua economia, a retração da produção industrial pode se estender por ainda um prazo maior.