Produção Industrial Capixaba inicia o ano com queda de 2,6% em janeiro de 2019

Realizada pelo IBGE, a Pesquisa Industrial Mensal - Produção Física (PIM-PF) identificou recuo de 2,6% na produção industrial capixaba, na passagem de dezembro de 2018 para janeiro deste ano, na série com ajuste sazonal. Para o Brasil, o recuo da produção física industrial foi de 0,8%.

Ainda na comparação com o mês anterior, em janeiro de 2019 as atividades industriais de produtos de minerais não-metálicos (+5,0%), de metalurgia (+1,6%) e de produtos alimentícios (+0,5%) apresentaram variações positivas. Por outro lado, o recuo produtivo da indústria extrativa (-1,7%) e das atividades de celulose, papel e produtos de papel (-25,2%) pesaram negativamente sobre o nível de produção industrial do mês pesquisado.

A comparação entre janeiro de 2019 e janeiro de 2018 revela uma piora no desempenho do setor industrial. No Brasil, a indústria recuou 2,6% e o Espírito Santo, apesar do resultado negativo (-1,1%), apresentou o sétimo melhor desempenho entre os 15 estados pesquisados. 

As atividades industriais de produtos alimentícios (+7,4%), de minerais não-metálicos (+2,4%) e a indústria extrativa (+3,6%) foram os setores de atividades que apresentaram variações positivas na comparação entre janeiro de 2019 e o mesmo mês do ano anterior. Nesta base de comparação, o fraco desempenho da produção industrial capixaba foi puxado pela indústria de transformação (-6,0%), com destaque para as atividades de celulose, papel e produtos de papel (pastas químicas de madeira, processos sulfato, branqueadas ou não), cuja queda na produção foi de 32,4%.

No acumulado dos últimos 12 meses, a produção industrial capixaba caiu 0,2%, ante o recuo de 0,9% em dezembro de 2018, puxada, principalmente, pela indústria de transformação (-2,0%). Já a indústria extrativa avançou 1,6% no período.