Importações de bens de capital no ES têm alta de 52,9% em 2019

Em 2019 houve um forte crescimento da quantidade das importações do Espírito Santo de bens de capital e intermediários, que são tradicionalmente utilizados nos processos industriais. As importações de bens de capital foram puxadas pelos setores de veículos automotores e de outros equipamentos de transporte. O volume importado de bens de capital aumentou em 52,0%, sendo os principais produtos representantes desta categoria outros veículos aéreos e veículos automotores. Os aparelhos elétricos para telefonia, que também pertencem a categoria de bens de capital, alcançaram uma participação de 5,8% no total das importações do Espírito Santo.

O crescimento na categoria de bens intermediários (40,4%) foi resultante de um aumento significativo da quantidade importada (41,7%). A maior demanda por esses bens foi decorrente principalmente dos setores industriais como a metalurgia, a fabricação de máquinas e equipamentos e de produtos de borracha e plástico. Os bens de maior participação no valor deste grupo foram torneiras, válvulas e dispositivos semelhantes que cresceram 1.830,4%. Destaca-se também o crescimento da importação de malte (95,0%), que está associado à fabricação de bebidas.

Diante do cenário econômico nacional que ainda não se recuperou, o crescimento das importações de bens de capital e intermediários pelo Espírito Santo pode sinalizar um reaquecimento da indústria capixaba em 2020. No entanto, há necessidade de cautela devido à expectativa de baixo crescimento da economia global e nacional para neste ano. O Espírito Santo teve redução das exportações em todas as classes de produtos em 2019 e o desafio para 2020 será qualificar em quais mercados essa queda se configurou como retração de demanda dos países ou se houve também perda de competitividade do produto capixaba, por exemplo, nos mercados para bens industrializados.