No ES, número de ocupados cresce 2,9% no 3º trimestre de 2019

Com taxa de desocupação em 10,6%, considerada estatisticamente estável, 1,9 milhão de capixabas estavam ocupados no Espírito Santo no terceiro trimestre do ano  - aumento de 2,9% em relação ao mesmo trimestre de 2018 - este número equivale a 59,4% da população em idade ativa do estado, representando um crescimento do nível de ocupação de 1,5 p.p..

No Brasil foram aproximadamente 93,8 milhões de pessoas ocupadas, aumento de 1,6% em relação ao mesmo trimestre de 2018. Para o país, o nível de ocupação de 54,8% foi inferior ao verificado para o Espírito Santo. 

No Espírito Santo, dos 1,9 milhões de ocupados no terceiro trimestre do ano, 4,9% era empregador, 65,1% empregado, 25,9% trabalhador por conta própria e 4,2% trabalhador familiar auxiliar. 

O aumento das ocupações foi puxado pelo crescimento de trabalhadores por conta própria com CNPJ (+25,9%). Para o Brasil, este movimento também foi verificado, com ocupados por conta própria com CNPJ apresentando o maior crescimento no trimestre (7,9%).

A maioria dos ocupados capixabas estava distribuída nas atividades de comércio (18%), agricultura (14%), indústria geral (12%) e serviços de educação e saúde (11%), atividades estas que empregaram 55% da população capixaba ocupada no terceiro trimestre de 2019.

Em média os trabalhadores tiveram remuneração habitual mensal de R$ 2.066,45 no trabalho principal, valor 7,1% abaixo da média nacional de R$ 2.223,19. A maior remuneração média estimada no estado foi entre empregador com CNPJ (R$ 5.325,45) e ocupados no setor público com carteira (R$ 5.058,90).

Entre a população ocupada por conta própria com CNPJ – categoria com maior crescimento no trimestre em relação à 2018 (25,9%) – o rendimento mensal médio foi de R$ 2.718,39. Apesar deste estar acima do rendimento médio estadual, a remuneração desta população reduziu em 4,4% na comparação com igual trimestre de 2018.