Atividade econômica do Espírito Santo recua 1,84% no terceiro trimestre de 2019 em relação ao mesmo período do ano anterior

O principal fator para essa queda da atividade econômica capixaba foi a retração de 14,9% da produção física industrial, no terceiro trimestre de 2019. Nesse período, o volume de vendas do comércio varejista ampliado e o volume de serviços variaram, respectivamente, +1,5% e +3,9% no terceiro trimestre de 2019 em relação ao mesmo trimestre do ano anterior.

O Índice de Atividade Econômica Regional do Espírito Santo (IBCR-ES) apresentou uma diminuição na intensidade de perda na passagem do segundo (-3,1%) para o terceiro (-1,8%) trimestre de 2019.

Na análise mensal, a atividade econômica capixaba apresentou desempenho positivo (+0,85%) no mês de setembro, na série com ajuste sazonal. Esse resultado interrompeu três quedas consecutivas do indicador para o estado. Para o Brasil, o Índice de Atividade Econômica (IBC-Br) registrou alta de 0,44% em setembro de 2019, também na série livre de efeito sazonal.

Para o país, a taxa acumulada nos últimos doze meses foi positiva (+0,99%) e próxima à expectativa de mercado em relação ao crescimento do PIB nacional, que é de 0,92% para o final de 2019, de acordo com o Relatório Focus do dia 14 de novembro de 2019. Essa expectativa de crescimento reflete a crença sobre os desdobramentos positivos das medidas que envolvem a liberação de recursos do FGTS e a agenda pós-Reforma da Previdência que, por sua vez, influencia  a confiança dos empresários.

O IBC-BR é um indicador do Banco Central do Brasil (BCB) divulgado mensalmente que agrega as informações sobre o desempenho da economia nos setores agropecuário, industrial, de serviços e de comércio a partir das pesquisas mensais do IBGE. A nível estadual, o BCB divulga o IBCR. Os índices são úteis para acompanhar a evolução da atividade econômica do Espírito Santo e do Brasil, mas não se trata de uma projeção do PIB.