Ambiente de negócios no Brasil e no Espírito Santo

A recente divulgação do Doing Business 2020 mostrou que o Brasil caiu para 124ª posição no ranking que mede a facilidade de se fazer negócios em 190 países. A nota brasileira chegou a ter uma leve melhora em comparação à edição de 2019, mas a perda de posições indica que outros países estão realizando reformas e melhorias no ambiente de negócios em velocidade mais rápida do que o Brasil.

O Fato Econômico Capixaba do mês de novembro trata da situação do Brasil e do Espírito Santo a respeito de seus ambientes de negócio, que pode ser resumidamente definido como um conjunto de fatores que influencia as condições, sob diversos aspectos, para fazer negócios e desenvolver atividades empresariais em determinada localidade.

Entre os grandes blocos temáticos que compõem a ideia de ambiente de negócios estão a burocracia, o ambiente regulatório, os assuntos tributários, o nível de capital humano, a infraestrutura, o sistema financeiro, dentre outros.

Um importante fator que influencia o ambiente de negócios é o que engloba a governança pública, seja a partir de aspectos regulatórios que cabem ao setor público, seja nas execuções das políticas públicas e da própria gestão fiscal dos governos. A recente crise fiscal que impactou o Brasil nos últimos anos mostrou como a desorganização das contas públicas impacta toda a atividade econômica e produz efeitos negativos para o desenvolvimento de negócios.

O Espírito Santo tem tido resultados de destaque nos últimos anos. Aparece bem posicionado em rankings que medem a qualidade da gestão fiscal, a conformidade dos dados de finanças públicas, a competitividade e eficiência dos estados. Todos esses indicadores refletem-se, ainda, em melhorias importantes nas áreas de educação, saúde e segurança pública estaduais, fundamentais para o desenvolvimento local, inclusive do ponto de vista da geração de negócios.

Em outro dado recém-divulgado, o Índice Firjan de Gestão Fiscal, o Espírito Santo aparece como um dos três estados brasileiros - junto com Paraná e Santa Catarina - a ter mais de 50% dos seus municípios com gestão classificada como boa ou de excelência.

Em novembro, Espírito Santo ganhará o Indicador de Ambiente de Negócios (IAN) municipal

O Ideies lançará neste mês de novembro o Indicador de Ambiente de Negócios (IAN) dos municípios do Espírito Santo. O IAN é o resultado de um amplo trabalho de coleta e sistematização de dados sobre todos os municípios do Espírito Santo, traduzidos em 39 indicadores e organizados em quatro eixos: Infraestrutura, Potencial de Mercado, Capital Humano e Gestão Fiscal.

O lançamento do IAN ocorrerá dentro da programação do 8º Congresso Gestão das Cidades, promovido pela Associação de Municípios do Espírito Santo (Amunes). O IAN é um produto elaborado pelo Ideies com apoio da Amunes, do Governo do Estado do Espírito Santo, da Assembleia Legislativa do Espírito Santo, do TCE-ES e da Endeavor.

    8º Congresso Gestão das Cidades

    Data: 27 e 28 de novembro

    Local: Centro de Conveções de Vila Velha

    Realização: Amunes

    Neste ano o Congresso terá como tema “Os desafios dos municípios capixabas”, focado em quatro eixos temáticos: Tecnologia e Inovação, Governança Municipal, Cidade Para as Pessoas e Finanças Municipais.

    Clique aqui para acessar

Blog do Ambiente de Negócios completa 1 ano

Criado pelo Ideies para fomentar o debate sobre o ambiente de negócios, o blog reúne textos de especialistas de várias áreas, baseados em nove divisões temáticas:

(i) Assuntos Tributários;
(ii) Ambiente Regulatório;
(iii) Capital Humano;
(iv) Infraestrutura;
(v) Inovação;
(vi) Sistema Financeiro;
(vii) Meio Ambiente;
(viii) Responsabilidade Social;
(ix) Governança Pública.

Clique aqui para acessar