Em abril de 2019, setor agropecuário criou 50% dos novos postos formais no estado

Nos quatro primeiros meses de 2019 foram 9.066 novos postos de trabalho celetistas criados. Um acréscimo de 1% na criação de vagas, quando comparado com o total de vagas criadas nos quatro primeiros meses de 2018, na série sem ajuste com declarações entregues fora do prazo. Apesar da redução de 843 vagas formais observada em março, até o momento a movimentação do mercado de trabalho formal capixaba ratifica a moderada recuperação verificada em 2018, em comparação a desaceleração observada nos anos de 2017 e 2016.

Atividade cafeeira

No Espírito Santo, em abril de 2019, foram criados 2.881 postos de emprego formal. O setor de agropecuária, extrativa vegetal, caça e pesca foi o que mais criou vagas celetistas (+1.438), sendo responsável por 50% dos novos postos formais criados no estado. É interessante notar a sazonalidade dos saldos do setor de agropecuária no estado. Nos meses de abril e maio ocorrem os maiores saldos, influenciados pela contratação de trabalhadores na colheita do café, principal atividade agrícola do Espírito Santo.


Ocupações

A ocupação que teve o maior número de vagas criadas em abril foi a de trabalhador na cultura do café (728 novos postos formais), respondendo por 51% das vagas criadas no  setor de agropecuária, extrativa vegetal, caça e pesca no mês de abril. As maiores contratações nesta ocupação foram verificadas nos municípios de Vila Valério (+254), Jaguaré (+207) e Linhares (+163).

Em abril, Linhares foi o município que mais criou postos formais no estado (+1.014), a maior parte concentrada no agropecuário (+388), em consequência da colheita do café. Pelos dados da Pesquisa de Produção Agrícola Municipal (PAM/IBGE), em 2017, Linhares apareceu na 14ª posição entre os municípios do estado com maior área plantada ou destinada à colheita de café (10.400 ha), no ranking do Brasil assumiu a 32ª posição. Não por acaso, Jaguaré, primeiro município do estado com maior área plantada de café (18.025 ha) e quarto do Brasil, foi o segundo município que mais criou postos celetistas no mês (+557). Em Jaguaré, 85% dos admitidos ocuparam vagas formais relacionadas a agricultura (café e cacau) e agropecuária, destes 33% ocuparam vagas de trabalhador da cultura de café. Vila Valério também se destacou, registrando a criação de 254 postos formais em abril, no qual 83% dos admitidos ocuparam vagas de trabalhador da cultura de café.

Apesar do setor de agropecuária ter sido o que mais criou postos formais no mês de abril no Espírito Santo, o setor seguiu o comportamento dos meses anteriores e apresentou o menor salário médio de admitidos (R$ 948,98), em decorrência da natureza das ocupações criadas. Para além disso, o salário médio do setor cresceu 13% em relação a abril de 2018.