Ásia impulsiona as exportações de minério de ferro que crescem 12,3% no primeiro trimestre

No primeiro trimestre de 2019 o saldo da balança comercial do Espírito Santo foi de US$ 450 milhões, queda de 32,9% em relação ao mesmo período do ano anterior (gráfico 1). Este resultado foi alcançado por um forte crescimento das importações (+20,7%), frente a uma pequena variação nas exportações (+1,1%).

Destaque exportações

A variação de 1,1% nas exportações capixabas refletiu o crescimento de 4,2% da quantidade exportada, em conjunto com uma queda nos preços de 3,3%. Assim, embora a quantidade de bens exportados pelo Espírito Santo no primeiro trimestre de 2019 tenha aumentado, o valor total das exportações manteve-se estável devido ao impacto negativo da redução nos preços. Analisando a pauta de exportações por fator agregado, houve uma intensa redução nos preços entre os produtos industrializados (semimanufaturados (-9,1%) e manufaturados (-6,3%)), mas não para os básicos (+0,7%) .

Minérios de ferro

O principal produto exportado pelo Espírito Santo entre janeiro e março de 2019 foi o minério de ferro e seus concentrados, que totalizou US$ 647,8 milhões (gráfico 2), com aumento de 12,3% em relação ao mesmo período do ano anterior. Sendo a Ásia o principal destino das exportações do minério de ferro, que aumentaram 25,1% em relação ao primeiro trimestre de 2018, registrando US$ 170,9 milhões. Este bem também foi um dos principais produtos exportados pelo estado para Europa, América do Sul e África.

Óleos brutos de petróleo

O óleo bruto de petróleo, segundo produto mais exportado pelo Espírito Santo entre janeiro e março de 2019, alcançou US$ 288,1 milhões. A Ásia, particularmente a Índia, também foi o principal destino das exportações capixabas deste bem nos três primeiros meses de 2019 com total de US$ 254,2 milhões. Neste período, as exportações de petróleo para a Índia tiveram uma alta de 987,3%.

Produtos semimanufaturados de ferro ou aço 

Em terceiro lugar nas exportações capixabas, os produtos semimanufaturados de ferro ou aço totalizaram US$ 166,1 milhões no primeiro trimestre de 2019, uma queda de 21,4% na comparação com o mesmo período do ano anterior. As exportações destes bens para América do Norte e Europa apresentaram retração de 1,3% e 24,9%, respectivamente.