Produção industrial capixaba tem recuo de 8,5% no primeiro trimestre de 2019

Os resultados da Pesquisa Industrial Mensal – Produção Física (PIM-PF) divulgados pelo IBGE no dia 08 de maio apontam que entre janeiro e março de 2019, a atividade industrial do Espírito Santo recuou 8,5% na comparação com o mesmo período de 2018, maior retração entre as unidades federativas pesquisadas. Esse resultado interrompeu o ritmo de crescimento verificado nos dois trimestres anteriores. A produção industrial nacional, por sua vez, caiu pelo segundo trimestre consecutivo e registrou uma variação de -2,2%.


No primeiro trimestre de 2019, comparado com o mesmo período de 2018, o volume de produção industrial do setor de papel e celulose e da indústria extrativas tiveram quedas expressivas, respectivamente, -32,2% e -10%, explicadas pela redução na produção de pasta química de madeira para o primeiro e óleos brutos de petróleo, gás natural e minérios de ferro pelotizados para o segundo. A metalurgia também apresentou resultado negativo (-2,4%), puxado pela redução na produção de bobinas quentes de aço, tubos flexíveis, tubos trefilados e ferro-gusa. O setor de minerais não-metálicos teve alta de +2,5%, com aumento na produção de granito talhado ou serrado (inclusive chapas para pias) e massa de concreto. O setor de alimentos manteve-se estável (-0,1%).

    Após a forte retração verificada em fevereiro (-11,7%) na variação mensal, a produção industrial capixaba teve alta de 3,6% em março de 2019, na série com ajuste sazonal. 


Considerando os últimos 12 meses, o setor industrial do Espírito Santo registrou queda de 2,3%. Para o Brasil, a redução no volume de produção da indústria foi de -0,1%. Considerando esses resultados e o lento andamento das reformas, elevam-se as expectativas de baixo crescimento da produção industrial e da economia nacional em 2019.