Fevereiro registra queda generalizada do spread bancário nas operações de crédito em doze meses

A taxa média de juros nacional em fevereiro ficou em 25,0%, redução de -1,8 p.p. se comparada a fevereiro de 2018. Em relação a janeiro, houve uma expansão de +0,3 p.p. Já as taxas de juros destinadas a pessoas jurídicas, apresentaram contração em ambas as bases de comparação.

Também a taxa de inadimplência nacional apresentou diminuição. Em fevereiro, teve queda de -0,1 p.p. em relação a janeiro. Se comparada com o mesmo período do ano anterior, a queda foi mais expressiva, de -0,5 p.p.

No Espírito Santo, o comportamento da taxa de inadimplência em fevereiro se manteve estável em 3,3% em relação ao mês anterior, não obstante, ao se analisar a variação interanual, esta teve declive de -0,4 p.p.

Destaca-se que, em doze meses, houve uma queda generalizada do spread bancário médio nacional nas operações de crédito por tipo de tomador e nos segmentos do crédito livre e crédito direcionado.

Esta contração foi acompanhada pelas quedas das taxas de juros e pelo declínio da inadimplência interanual, determinados por um cenário macroeconômico em que a taxa de juros básica da econômica se mantém estável. 

Na análise mensal, o spread bancário médio do país apresentou um comportamento expansivo, definido tanto pela alta do spread bancário médio das operações de crédito com pessoas físicas quanto pelo aumento do spread médio para o segmento de recursos livres.

Clique aqui para conferir o conteúdo.