No primeiro mês de 2019, ES cria 2.608 postos formais de trabalho

O Espírito Santo foi um dos onze estados que contribuíram para o resultado positivo do saldo de empregos formais do Brasil. Com um número de admissões superior ao de demissões, o estado registrou a criação de 2.608 postos de emprego celetista em janeiro de 2019. Para o Brasil, foram 34.313 postos de trabalho formais criados no mês.

Foi o terceiro ano consecutivo que o ES tem saldo positivo no mês de janeiro, depois de uma sequência de saldos negativos entre os anos de 2013 e 2016.

O setor de serviços foi o responsável pela maior geração de postos formais, com saldo de +1.496, sendo 11.231 admitidos e 9.735 desligados. O resultado foi impulsionado pelas atividades de comércio e administração de imóveis, valores mobiliários e serviço técnico, com criação de 645 postos celetistas.

O segundo maior saldo foi observado na construção civil, com o registro de 1.464 novos postos celetistas. A indústria de transformação ocupou a terceira colocação criando 859 vagas formais. Dentro da indústria de transformação, 8 dos 12 subsetores criaram postos de trabalho formais, com destaque para as atividades de mecânica (+431), metalurgia (+270) e produtos minerais não metálicos (+213). Ainda dentro do setor, as reduções de postos formais foram verificadas nas atividades de indústria química de produtos farmacêuticos, veterinários, perfumaria (-135) e papel, papelão, editorial e gráfica (-16).


Em janeiro de 2019, a maioria das vagas celetistas criadas foram ocupadas por trabalhadores com ensino médio completo (+2.084), 362 postos foram ocupados por trabalhadores com ensino superior completo e 232 com ensino fundamental completo. 

Das vagas formais de trabalho destruídas, a maior parte era ocupada por trabalhadores com ensino médio incompleto (-113), seguido pelo ensino fundamental incompleto (-45).


Remuneração

Em janeiro de 2019, o salário médio dos admitidos no Espírito Santo foi de R$ 1.509,98, um pouco abaixo da média verificada para o Brasil de R$ 1.603,04. Ainda assim, o salário médio real dos admitidos no Espírito Santo cresceu 4% na comparação entre janeiro de 2018 e janeiro de 2019, garantindo ao estado a quinta maior variação de salário médio real, ficando atrás do Mato Grosso do Sul (22%), Roraima (8,6%), Ceará (6,0%) e Pernambuco (5,3%). Destes, apenas Mato Grosso do Sul apresentou um salário médio de admissão superior ao do Espírito Santo em janeiro de 2019 (R$ 1.672, 22). 

Na comparação com a média salarial de admitidos no Brasil, o Espírito Santo, em janeiro de 2019, apresentou salário superior à média brasileira nos setores de indústria de transformação (11,7%), de construção civil (4,2%) e de comércio (3,4%).